Como Imigrar aos Estados Unidos com Investimento de US$ 500.000,00 a US$ 1.000.000,00

CONHEÇA O NOVO MODELO DE INVESTIMENTO DISPONÍVEL PARA OS BRASILEIROS QUE VIABILIZOU A OBTENÇÃO DO GREENCARD (COM VISTO DE INVESTIDOR – EB-5.

Por Mauricio Ejchel

Ok, quero imigrar para os Estados Unidos com o Visto EB-5  de negócios e investimentos e obter um GreenCard.

Já sei que terei de investir de US$ 500,000 a US$ 1,000,000, gerar 10 empregos e manter o valor investido ao menos por 02 anos em um negócios, seja em uma empresa própria ou de terceiros. 

Mas como qualquer outra pessoa tenho dúvidas e receio de perder meu dinheiro. O que fazer?

A resposta é compreender o “espirito” do que o Governo Americano exige para este Visto EB-5:

  • O objetivo primordial do Governo Americano não é que você transfira seu dinheiro para lá, mas que GERE EMPREGOS para Americanos. 
  • Na realidade ainda existem outras 08 ou 09 condições que terão de ser cumpridas, como por exemplo provar a origem do dinheiro, apresentar certidões diversas, declarações de renda, o preenchimento de diversos formulários e Apresentar um Plano de Negócios (Business Plan – BP).
  • Sim, Plano de Negócios pois se trata de um visto de investimentos, que te impõe realizar um empreendimento comercial. (individual ou participando de um empreendimento maior como um quotista).
  • Muito trabalho e Muito Risco Financeiro.

Até 2015, quando meus clientes me contratavam para estruturar um Projeto EB-5 eu reunia a equipe clássica – advogado de imigração americano + contador americano + consultoria de negócios nos Estados Unidos + advogado no Brasil. Vejam os custos:

Despesas:

1 – Advogado (US$ 10,000)

2 –  Contador (US$ 700,00 + US$ 150,00 mensais)

3 – Consultoria de Negócios para dar base ao Investimento  (entre US$ 20,000 a US$ 45,000)

4 – Elaboração do Business Plan do Negócio para submter com o Pedido de Visto EB-5. (formulados consulares, etc.)

5 – Despesas financeiras e bancárias (US$ 3,500 a US$ 5,000).

6 – Incorporação da empresa (US$ 250,00) 

7 – Saída definitiva fiscal do Brasil. (US$ 4,000.00)

Importante ressaltar que o visto EB-5 é absolutamente viável, positivo e adequado para a muitos brasileiros e SIM, resulta em um precioso GreenCard.

Em 2016 fui procurado por uma empresa americana chamada First Pathaway que me apresentou uma outra fórmula para realizar o Projeto do EB-5, através de uma participação em um Grande Projeto de Construção, principalmente de Hotéis, Edifícios Comerciais e Residenciais.

A First Pathaway  é uma empresa com mais de 30 anos e tem sua sede em Milwaukee (Winsconsin) e que, na minha visão, elaborou um produto perfeito para auxiliar a obtenção do Visto EB-5, resolvendo os principais problemas, risco financeiro, gestão comercial e geração dos empregos.

Veja como funciona:

O FirstPathway Partners seleciona alguns Empreendimentos Comerciais nos Estados Unidos e avalia cuidadosamente os projetos de adequação para atender aos requisitos do EB-5.

Os Projetos (ver link) são Construções de Hoteis (Marriot, Hampton´s Inn) e Edificios Comerciais e Residenciais.

E porque obras civis e construções de hotéis?

Justamente para atender a exigência de criação dos 10 empregos em até 02 anos. Os funcionarios da obra são utilizados para suprir esta obrigação e garantir o GreenCard.

Também não se trata de um negócio tipicamente de risco, como uma Franquia, por exemplo.

É importante observar que a empresa é extremamente conservadores tanto com dinheiro como o andamento da obra, já fazem este trabalho há muitos anos e são comprovadamente os melhores do ramo.

O foco desta empresa nas ultimas décadas foi atender imigrantes Chineses.

Senti confiança, um primeiro cliente contratou, manteve o dinheiro controlado (diariamente), conseguiu o GreenCard e levantou o investimento após os 2 anos. Não recebeu juros.

Recomendo. Esse senhor abaixo é o CEO e vale checar o “Curriculo” dele.

BOB W. KRAFT – PRESIDENTE
IIUSA’s 



ASSOCIADO A:

https://www.firstpathway.com/

Avaliação

Brasileira será extraditada aos EUA sujeita a pena de morte.

Brasileira condenada será extraditada aos EUA sujeita a pena de morte

Cláudia, brasileira naturalizada americana, voltou ao Brasil após o crime, há 9 anos.

Caso a decisão do STF, ela será extraditada.

Claudia Sobral foi acusada de matar o marido em 2007, em Ohio, nos EUA, e fugir para o Brasil.

Por ter se naturalizado americana, Justiça brasileira pode enviá-la de volta para os EUA

Claudia Cristina Sobral, que adotou o nome de Claudia Hoerig após se casa com Karl Hoerig. Nasceu no Brasil, mas abriu mão da nacionalidade em 1999, ao se naturalizar norte-americana.

Conforme prevê o artigo 5º, inciso LI, da Constituição de 1988 é  vedada a extradição de brasileiros natos.

O homicídio de que ela é suspeita aconteceu em Newton Falls, Estado de Ohio, em 12 de março de 2007, tendo como vítima Karl Hoerig. Oficial condecorado da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF).

Nos termos previsto no art. 22, inciso I, da Lei 818/1949, perde a nacionalidade o brasileiro que, por naturalização. voluntária. adquirir outra nacionalidade, mediante processo administrativo conduzido pelo Ministério da Justiça.

A Procuradoria Geral da República assim asseverou:

O crime é passível de extradição.

Os requisitos do tratado. bilateral Brasil/EUA estão presentes. Não ocorreu a prescrição e não há dúvidas sobre a identidade da extraditanda.

Portanto, o Ministério da Justiça ASSIM DECIDIU:

PORTARIA Nº 2.465, DE 3 DE JULHO DE 2013

O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA., usando da atribuição conferida pelo art. 1 do Decreto n 3.453, de 9 de maio de 2000. Publicado no Diário Oficial da União de 10 de maio do mesmo ano, tendo em vista o constante dos respectivos processos administrativos que tramitaram no âmbito do Ministério da Justiça, resolve:

DECLARAR a perda da nacionalidade brasileira da pessoa abaixo relacionada, nos termos do art. 12§4º, inciso II, da Constituição. Por ter adquirido outra nacionalidade na forma do art. 23, da Lei n 818, de 18 de setembro de 1949:

CLAUDIA CRISTINA SOBRAL, que .passou a assinar CLAUDIA CRISTINA HOERIG, natural do Estado do Rio de Janeiro. Nascida em 23 de agosto de 1964. Filha de Antonio Jorge Sobral e de Claudette Claudia Gomes de Oliveira, adquirindo a nacionalidade .norte-americana (Processo nº 08018.011847/2011-01).

Se a procurada for tida como brasileira, o pedido norte-americano será indeferido de pronto, com base no artigo 5º, LI, da CF.

Ademais, o artigo 7º do Tratado brasilo-americano estabelece que

“Não há obrigação para o Estado requerido de conceder .a extradição de um seu nacional.

A autoridade executiva do Estado requerido, de acôrdo com as leis do mesmo, poderá. Entretanto, entregar um nacional do referido Estado se lhe parecer apropriado“.

Avaliação